rede-pano

Ficou um restinho de história para contar sobre a nossa última aventura no parque, quando brincamos com os bambolês. Na mochila levamos também um grande pedaço de pano, capaz de se transformar em diferentes atividades.

Depois de tanto brincar, correr, escalar, tomar lanche, olhar macacos e dançar com bambolês, chegou o momento de fazer algo mais tranquilo. Transformamos então nosso tecido em um balanço. Com o pano estendido no chão e uma criança deitada no centro, dois adultos seguram as pontas, levantam a criança e começam a balançar de um lado para o outro, como se fosse uma rede. É uma delícia! Antonio gostou tanto que mal tinha paciência para esperar os outros experimentarem, puxando nossas roupas e perguntando se já era a vez dele novamente. Depois de alguns choros e tentativas de pular a vez do amigo, resolvemos então cantarolar uma música curtinha para marcar o tempo de cada um e ajudar as crianças a entenderem quando começa e acaba a vez dela. Claro que não resolveu instantaneamente a impaciência, mas ajudou bastante! Já a Bia, por sua vez, achou mais graça em ver os amigos suspensos no ar, escondidos no meio do tecido.

Muitas balançadas depois, é hora de trocar de brincadeira. Crianças sentadas em uma ponta do tecido, um adulto na outra puxando e arrastando os pequenos pela grama. Foi Bia, foi Raul, foi Antonio… juntos e separados! Gael ajudou a arrastar os amigos para um passeio pelo parque. E na hora de dar uma folga para os braços dos papais e das mamães, Raul encontrou o tecido no chão e criou sua própria brincadeira, nadando na textura gostosa das dobrinhas do pano em contato com a grama.

Nosso dia foi longo e acabou por aqui. Mas com o mesmo tecido dá para criar ondas sobre as crianças sentadas ou deitadas no chão, montar uma tenda gostosa no meio das árvores ou soltar a imaginação e criar suas próprias brincadeiras.

Tem ideias? Mande para a gente! E veja nossas dicas no final do post. 

rede-pano2
Raul e Antonio curtindo o vai e vem da brincadeira.
rede-pano4
Bia curiosa: o que será que tem aqui dentro?
rede-pano7
E puxa dois pra cá, um pra lá…
rede-pano5
… e Gael dá uma forcinha para puxar o amigo.
rede-pano3
Raul inventa outras maneiras de brincar com o pano.
DICAS
    • Usamos dois metros de lycra, um tecido elástico e bastante resistente. 
    • É possível usar uma toalha de mesa ao invés do tecido, mas antes verifique se ela tem tamanho e resistência para o peso da criança. Mas atenção: dependendo do material ela pode ficar deformada após as brincadeiras.
    • Ao ar livre é muito gostoso, mas dá para brincar dentro de casa também.

PRINCIPAIS ESTÍMULOS

  • Visão, tato, audição. E muitas outras sensações gostosas que acontecem quando somos balançados.

SEGURANÇA

  • Use apenas tecidos firmes e resistentes, que não rasguem durante a brincadeira. Na dúvida, peça informações na hora da compra ou teste antes de usar.
  • Antes de começar a balançar, verifique a altura para que a criança não bata as costas no chão acidentalmente. 
  • Jamais balance com força ou rápido demais.
  • Não deixe que o tecido cubra a criança e preste sempre atenção ao que está acontecendo dentro da rede. A brincadeira precisa ser divertida, portanto pare caso a criança sinta medo ou não goste da sensação. 
  • Verifique antes da brincadeira se no trajeto pelo qual a criança será puxada não tem pedras, troncos, formigueiros ou qualquer coisa que possa machucá-la. 
  • Não faça a brincadeira em pisos ásperos ou quentes. 
  • Não deixe que as crianças maiores balancem ou puxem as menores sem a ajuda de um adulto.
  • Evite fazer a atividade com crianças muito pequenas, que ainda não ficam sentadas com firmeza. 

PREPARO e BAGUNÇA

  • Basta um tecido e pronto. 
  • Sem bagunça. Quando sujar, basta jogar o tecido na máquina de lavar e começar tudo de novo.