Cesta dos tesouros: procurando cores

gincana-cores-objetos2

Sabe quando dizem que o tempo passa rápido? E passa mesmo. Olhando fotos dos meninos achamos uma atividade que fizemos faz quase um ano, quando o Massacuca nem sequer existia! Para nós parece que foi ontem, mas para Antonio e Gael um mundo de mudanças e descobertas aconteceram nesse período.

Na época eles ainda estavam descobrindo as cores, e neste dia criamos uma coleta colorida para ajudar no aprendizado. A ideia é simples: basta separar bacias, baldinhos ou caixas e sair pela casa em busca de objetos da mesma cor para encher os recipientes. A graça está em procurar em todos os cômodos e usar a criatividade para compor uma mistura interessante de objetos que depois serão explorados pelas crianças.

Começamos procurando brinquedos, pois é mais fácil para a criança identificar a cor nos objetos pessoais. Um carrinho vermelho, peixes azuis, um dinossauro verde, um bloco amarelo. Pronto! Hora de mudar de cômodo. Próxima aventura: o banheiro. Para reforçar as cores e também ajudar na criação do repertório da linguagem, sempre procuramos descrever as descobertas: “olha, a escova de dentes da mamãe é vermelha”, “tem uma esponja redonda, amarela e macia aqui no chuveiro”. E assim seguimos procurando tesouros por todos os lugares. Um lenço vermelho pendurado, pulseiras amarelas na gaveta. Uma peruca cor de rosa! Nem mesmo a mamãe lembrava dela, escondida em um canto do armário. Canetas, tampas de garrafa, pregadores de roupa. Vale tudo! Só cuidado para escolher objetos que os pequenos possam explorar livremente e com segurança.

Bacias e baldes cheios de novidades, hora de espalhar uma cor por vez no chão e deixar que se aventurem nas descobertas. É incrível perceber como um pregador de roupas, um cabide ou uma fita métrica podem ser tão interessantes quanto um brinquedo. Os meninos passaram a tarde inteirinha interessados, analisando e criando novos usos para os objetos apresentados. Abriram e fecharam potes, fizeram do funil uma flauta, do novelo de lã peruca. Alguns objetos foram totalmente ignorados, outros motivo de disputa.

Voltando ao presente, hoje a mesma atividade aconteceria de um modo totalmente diferente. Eles já sabem as cores e provavelmente a grande diversão seria vasculhar gavetas e armários a procura de objetos. O explorar também seria outro, cheio de frases divertidas e muito faz de conta. Ver as fotos nos deu saudades, mas também nos deixou curiosas para tentar a brincadeira mais uma vez. Afinal, curtir cada fase é bom demais!

Invente a sua maneira de brincar. Veja nossas dicas lá no final. 

gincana-cores-objetos
Ficamos orgulhosas com a nossa coleta de cores. Que lindo ver tudo junto.
gincana-cores-objetos5
Gael explorando o rosa.
gincana-cores-objetos6
Antonio na fase de colocar e tirar coisas de dentro do pote repetidas vezes.
gincana-cores-objetos7
No azul achamos uma fita métrica. Gael ficou encantado e explorou por muito tempo.
gincana-cores-objetos8
Brincar com espelho é importante para o desenvolvimento dos pequenos.
gincana-cores-objetos9
Tem coisa mais gostosa do que usar a imaginação?
gincana-cores-objetos3
Desbravando os amarelos em equipe.
gincana-cores-objetos4
Antonio adorou experimentar as pulseiras.
gincana-cores-objetos11
Disputar objetos faz parte da experiência.

gincana-cores-objetos10

DICAS

  • Para os menores que estão começando a identificar as primeiras cores proponha a atividade usando apenas uma cor.
  • Ajude a identificar cada objeto. Diga o nome, repita a cor e explique para o que serve.
  • Deixe que a criança explore diferentes espaços e descubra novidades.
  • Para os maiores, a atividade pode ser explorada de muitas maneiras. Proponha contar as peças, qual cor tem mais, qual tem menos, comparar maiores e menores, descobrir os diversos formatos e as diferentes tonalidades da mesma cor.
  • Que tal colocar todos os objetos encontrados um ao lado do outro, fora dos recipientes, montando um grande arco-íris?

PRINCIPAIS ESTÍMULOS

  • Tato e visão. Visualizar diversos objetos juntos fortalece o reconhecimento das cores. Explorar objetos através do tato e observar suas características são exercícios fundamentais para qualquer idade.
  • Audição, olfato e paladar. Podem ser estimulados incluindo na atividade instrumentos, objetos com cheiro, frutas ou verduras.
  • Coordenação motora. Muitos objetos estimulam a coordenação. Procure incluir  potes com tampas ou de encaixe.
  • Linguagem. Descrever os objetos ajuda a ampliar o repertório das palavras.
  • Raciocínio lógico. A atividade permite desenvolver noções espaciais, como cheio e vazio, maior e menor. Noções de quantidade e de agrupamento.
  • Imaginação. Mesmo objetos muito simples permitem o faz de conta. Crianças são criativas.

SEGURANÇA

  • Escolha apenas objetos que não representem nenhum perigo. Não use nada que possa desmontar ou quebrar.
  • As crianças podem sem querer danificar os objetos durante a exploração. Não use nada que tenha valor material ou sentimental.
  • Acompanhe a criança na busca pelos objetos e ajude a escolher apenas o que for seguro, explicando o porque algumas coisas são perigosas ou quebram.
  • Não use nada que possa ser tóxico. Colocar coisas na boca também é uma maneira que as crianças usam para explorar.

PREPARO e BAGUNÇA

  • Fácil de preparar. Basta usar o que achar pelo caminho.
  • Sem bagunça. Depois da brincadeira é só guardar tudo no lugar.